Seja para churrascos simples ou refeições sofisticadas, as áreas gourmet têm ganhado cada vez mais espaço nas residências. No entanto, é importante analisar a real necessidade do espaço e os cuidados que se deve ter na implantação do mesmo para que se possa aproveitar tudo o que ele oferece.

Um espaço para receber convidados e oferecer refeições especialmente preparadas para a ocasião: esta é a principal finalidade da área gourmet, cada vez mais presente nas residências e apartamentos em todo o país. Em pequenos apartamentos ou espaçosas casas, a área gourmet aparece como um complemento das áreas sociais da casa, proporcionando um ambiente próprio para o convívio. No entanto, existem alguns fatores que devem ser considerados na implantação de uma área gourmet, seja em uma reforma ou uma construção, para que se possa garantir um melhor aproveitamento de todas as funções que o ambiente pode oferecer.

O primeiro fator é a necessidade. Embora as áreas gourmet sejam ambientes cada vez mais desejados em residências e apartamentos, nem sempre ela é essencial e tem utilidade ao morador. Muitos optam pelo espaço apenas por uma questão de tendência e moda, quando, na verdade, são as particularidades e o estilo de vida dos moradores que indicarão a real necessidade de se ter o espaço. A área gourmet será fundamental para aqueles que gostam de receber visitas e querem recebê-las sem que isso influencie na rotina da casa. Isso significa dizer que buscam por um espaço onde haja privacidade ao receber, mantendo a área intima da casa preservada.

Para aqueles que optarem pela área gourmet, é importante considerar alguns fatores que podem influenciar na utilização do espaço. A integração entre a área gourmet e as demais áreas sociais, por exemplo, traz algumas vantagens, inclusive financeiras. “Integrar a área gourmet com ambientes como a cozinha e a sala de jantar evita a ociosidade de espaços e a repetição de mobiliários e equipamentos que poderiam acabar em desuso. Em vários de nossos projetos, onde há um desejo do cliente em ter um espaço para receber bem suas visitas, damos a ele a opção de inseri-lo de forma integrada a outros ambientes da casa. Assim, equipamentos locados na cozinha, como fogão, torre de fornos e freezer, darão suporte à área gourmet, onde será necessário incluir apenas equipamentos complementares. É uma opção de projeto que torna econômico tanto o gasto inicial para equipar os espaços, quanto o gasto de manutenção”, destaca a Vanessa Spina. “A integração com a sala de estar também é uma solução interessante. Em muitos casos, são ambientes com pouca utilização dos moradores e, com a integração, esses ambientes ganham mais vida”, completa.

No caso da implantação da área gourmet em apartamentos, é importante ficar atento, ainda, às questões de legislação e conforto para garantir que o imóvel adquirido possa receber um ambiente gourmet de qualidade. “É importante observar a legislação local e em quais condições o edifício de apartamentos foi aprovado. Isso porque, na maioria das situações, o fechamento da sacada e a inserção de equipamentos como a churrasqueira é proibido, tornando seu uso como área gourmet inviável. No entanto, caso a varanda já possua equipamentos como este ou esteja englobada ao corpo do edifício, a área gourmet se mostra como uma alternativa interessante para ampliar o espaço de convívio dos apartamentos menores”, explica a arquiteta.

Além disso, o posicionamento do sol tem grande influência no projeto de uma área gourmet. Afinal, embora a área gourmet seja normalmente aberta e conectada a um ambiente externo, é importante que o sol não incida diretamente nesta área. “O controle desse tipo de situação é mais fácil quando se projeta uma residência, onde o arquiteto tem total liberdade em propor o posicionamento dos ambientes. Já em um apartamento, onde existe uma repetição de unidades habitacionais, é difícil garantir que todas as varandas tenham condições para abrigar uma área gourmet confortável. Nesse caso, devem ser pensadas alternativas para o controle do sol quando possível, evitando inviabilidade do ambiente” completa Vanessa.

Com relação à escolha dos equipamentos e mobiliários que irão compor a área gourmet, novamente é necessária uma análise das necessidades de cada cliente. Enquanto alguns optam por um ambiente mais simples, com apenas uma churrasqueira, aqueles que gostam de se dedicar a atividades culinárias investem em equipamentos variados e mais sofisticados. No entanto, é necessário tomar algumas precauções, com destaque para escolha do modelo e do posicionamento da churrasqueira. Por tratar-se de um equipamento que gera muita fumaça, é importante procurar modelos adequados para cada caso específico, seja para uso em casa ou em apartamento. “O cuidado maior deve ser tomado no caso dos apartamentos, optando por churrasqueiras elétricas, caso não exista um sistema de exaustão eficiente com dutos já instalados”, comenta.

Além dos equipamentos, deve-se considerar a necessidade de um espaço para preparo de refeições, de acordo com a utilização que será feita do espaço. Uma bancada com pia é indispensável, sendo indicada ainda a instalação de uma bancada de trabalho, uma vez que no espaço pressupõe-se o manuseio de alimentos. Assim como a cozinha, a área gourmet deve ser dotada de revestimentos de fácil e manutenção, que sejam resistentes a umidade, gordura e materiais de limpeza. O mobiliário também deve ser bem pensado para dar apoio à utilização dos equipamentos propostos, podendo ser simplificado quando o ambiente for integrado à cozinha.

Por fim, por ser um ambiente de confraternização, é importante que a área gourmet seja um espaço confortável e que reflita a personalidade dos moradores. “Painéis de madeira, azulejos decorados e mobiliários em materiais diferenciados são bem vindos, garantindo um destaque para o ambiente. Além disso, uma iluminação diferenciada garante a valorização do espaço, que deve ser utilizado também nos períodos noturnos”, conclui Vanessa Spina.